::  Home

 
 

 ::  Mapa do Site

 

 ::  Contato

 
 

PATRIMÔNIO PELOTENSE

 




 

Teatro Guarany
 

Localização: Rua Lobo da Costa, 849
Funcionamento: O teatro é aberto somente quando há apresentações artístico-culturais ou com agendamento para eventos.
Telefones para informações: (53) 225 7636

Um pouco da história
Construção : 1920/1921
    Projeto de Stanislau Szarfarki. Francisco Vieira Xavier, Francisco Santos e Rosauro Zambrano contrataram, no ano de 1920, o empreiteiro Paulino Rodrigues para a construção deste teatro. Durante a obra houve uma mudança de construtor, passando os trabalhos para a responsabilidade da firma Rodrigues & Cia.
Sua capacidade, somando camarotes e platéia, é de aproximadamente 1500 lugares. Possui mais 900 lugares na "geral" e 25 camarins para artistas.
    A grande volumetria do prédio tem na sua fachada figuras e alegorias com motivos indígenas na platibanda vazada e acesso marcado por avanço volumétrico formando um terraço e marquise com linhas sinuosas do estilo Art-Nouveau em ferro e vidro. Apresenta dois terraços laterais com colunas e pilastras dóricas que abrem portas para o "foyer", para recreio dos ocupantes dos camarotes.
     Internamente as pinturas do teto originais são de Willy Schmidt e Joaquim Lamas Filho. As escadarias, com balaustradas de ferro trabalhado em renda, e degraus de mármore acessam à primeira e segunda ordens de camarotes. Seus materiais vieram de diversos pontos do país e do exterior: a cúpula metálica do teto e mobília do salão e secretaria são de Buenos Aires; a marquise e gradis vieram da Fundição Indígena (RJ); os mármores e o pano de honra do teatro, da Itália; a mobília da platéia e camarotes, de Porto Alegre; as guarnições de veludo rouge dos parapeitos dos camarotes e cortinas, da Colchoaria Pelotense; as esculturas em mármore foram executadas por Angelo Giusti.
    Foi inaugurado no dia 30 de abril de 1921 com a apresentação da ópera "O Guarany" de Carlos Gomes, a cargo da Companhia Lírica Italiana Maranti . A data de 1920, estampada no tímpano do frontão, comemora os 50 anos da estréia desta ópera no Teatro Scala de Milão. Durante a década de 70, sofreu grande reforma: reduziram o pé direito da platéia com um forro que escondeu as pinturas do teto, perdendo-se assim o "Paraíso". Atualmente, o Teatro Guarany segue como casa de espetáculos e local de atos solenes, com destaque para cerimônias de formatura.

 

 


Antiga Escola de Agronomia
Antigo Banco Pelotense- Banrisul
Antigo Banco do Brasil
Biblioteca Pública
Casarão 2
Casarão 6
Casarão 8
Casa de Pompas Fúnebre M.Lopes Casas geminadas 1 e 3
Castelo Simões Lopes
Catedral São Francisco de Paula
Centro de Integração do Mercosul
Charqueada Santa Rita
Charqueada São João
Clube Caixeiral
Clube Comercial
Escola de Belas Artes
Estação Férrea
Fábrica de Tecidos
Grande Hotel
Jockey Clube Pelotas
Igreja da Luz
Igreja do Redentor
Igreja Matriz do Porto
Igreja Nossa Senhora Aparecida
Mercado Público
Mural Galeria da Arte
Museu Carlos Ritter
Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo
Museu Parque da Baronesa
Porto
Prefeitura Municipal
Quartel Legalista"- "Casa da Banha"
Residência da família Assumpção
Santa Casa de Misericórdia
Santuário de Adoração
Secretaria de Receita
Sociedade Beneficência Portuguesa
Solar Visconde da Graça
Teatro Guarany
Teatro Sete de Abril
Teatro Avenida